Uma senha sera enviada para seu e-mail

Series são lançadas todo os anos, e este foi um de muitas estreias na Netflix. O serviço de Streaming vem lucrando muito com suas obras originais, o que gera mais investimento para novos projetos. Orange is The New Black e Stranger Things são exemplos de séries famosas, que arrecadavam novos assinantes todos os dias, porém não estamos aqui pra falar sobre isso.

Com tantos títulos sendo lançados ao ano pela Netflix, entre filmes e séries, fica difícil assistir a todos. Acabamos vendo aquilo que amigos e colegas indicam, o que deixa muita coisa boa de fora. A Netflix divulga todos os seus trabalhos, mas tem sempre aquele projeto com menos orçamento, ou sem nenhum estrela de Hollywood, que fica na berlinda.

Iremos listar aqui 6 séries que você precisa assistir. Cinco delas com uma protagonista feminina, lidando com problemas diversos, e uma ficção cientifica cheia de mind-blowing. Confira:

The OA

A única série da lista que não é de 2017, mas estrou aqui devido a um rumor de uma segunda temporada. Infelizmente, a própria Netflix desmentiu, mas por que esperam tanto por uma continuação?

The OA narra a história de uma garotinha cega, que foge de casa e é dada como desaparecida. Sete anos depois ela retorna para casa com sua visão restaurada. Questionada sobre seu sumiço ela afirma que estava em outra dimensão este tempo todo. Só isso já te instiga assistir, mas a série é muito mais que isso.

A série narra a trajetória de Prairie (Brit Marling), que se auto intitula OA, numa aventura que mistura espiritualidade e ficção científica. Mesmo não sendo tão popular, a trama misteriosa, e as vezes sobrenatural, mexe muito com você. No decorrer da série vamos acompanhando o passado de OA, assim como o que lhe aconteceu nos sete anos de sumiço. O final é culminante, mas mesmo assim deixou uma brecha a ser preenchida com uma nova temporada que nunca foi anunciada. Esperamos que os rumores de uma continuação sejam verdadeiras.

Alias Grace

Já ouviu falar no mega sucesso de The Handmaid’s Tale? A série da Hulu é baseada num livro homônimo, da escritora Margaret Atwood. Suas obras possuem um foco especial em protagonistas mulheres em sociedades machistas.

A alguns anos atrás, Bruce Miller mostrou o roteiro The Handmaid’s Tale para a Netflix, e eles recusaram reproduzir a série devido ao tema polêmico e violento. Hoje a série é uma das mais vistas de 2017, conquistando inúmeros prêmios. Como a Netflix não gosta de cometer erros, decidiu produzir outro livro de Atwood em formato de série.

Alias Grace narra a história de uma empregada que foi condenada a prisão depois de supostamente matar os patrões. Mesmo ela tendo flashs do crime, ela não se lembra exatamente como tudo aconteceu. Um psicologo passa a estudá-la para tentar descobrir a verdade, e encontra nela uma jovem inteligente e sensata que tem muito a dizer sobre o mundo. Justos eles caminham pelo passado de Grace, que revela mais sobre o crime do que ela imagina.

Godless

Uma das minhas séries preferidas deste ano. Desde que assisti Westworld nunca imaginei que adoraria ver uma série sobre velho oeste. Nunca fui muito fã do gênero, porém Godless foge um pouco da curva.

Estamos em 1880, numa pacata cidade chamada La Belle. Uma cidade só de mulheres. Devido a um acidente numa mina, todos os homens da cidade morreram, deixando apenas suas esposas, filhos e idosos. A grande perda forçou a mulheres a tomarem as rédeas da cidade, cuidando dos negócios e até da segurança.

Por outro lado, vemos o bando de Frank Griffin (Jeff Daniels), um demoníaco fora da lei que caça seu pupilo Roy Goode (Jack O’Connell). Goode se esconde na fazenda de Alice Fletcher (Michelle Dockery), uma destemida viúva que bota medo em qualquer Cowboy metido a besta.

Por abrigar um traidor, La Belle se torna alvo da gangue de bandidos, e as mulheres precisam se defender da ameaça iminente.

The Sinner

Imagine que você está curtindo um dia ensolarado, na orla de um belo lago, quando de repente uma mulher puxa uma faca e mata um cara na frente de todo mundo. Essa a premissa de The Sinner.

Jessica Biel é Cora, uma dona de casa, com marido e filho, vista por muitos como uma pessoa normal. Em um dia atípico ela vai com a família a um lago, e num episódio de loucura mata um completo desconhecido.

Ela não entende o que a levou a cometer o crime, muito menos sua família. Cora se declara culpada e decide não contestar o crime. A estranheza dos fatos instiga o investigador Harry Ambrose (Bill Pullman) a averiguar o passado de Cora e entender o que a levou a matar.

The Sinner é uma série que te entrega a verdade dos fatos, para logo no minuto seguinte mudar tudo que você achava que era certo. Cada nova pista deixa tudo mais próximo do resultado, mas te deixa ainda mais confuso. A atuação de Jessica é excepcional, o que a levou a concorrer ao Globo de Ouro 2018.

(P.S: The Sinner é do canal USA, mas é distribuído aqui pela Netflix)

Dear White People

Provavelmente, você conhece mais está série devido a polêmicas do que sua qualidade. Até porque foi a série da Netflix menos divulgada nas mídias, sendo inclusive boicotada por assinantes.

Dear White People surgiu como filme e depois adaptado para uma série. Relata a história de Samantha White (Logan Browning) que decide criar um programa de rádio que satiriza o preconceito racial contra pessoas negras. Estudante de cinema numa escola de elite americana, Samantha e seus colegas relatam suas experiências com o preconceito racial e de classes, num ambiente majoritariamente branco. 

Apesar da série ser importantíssima para discutir sobre racismo institucionalizado, há quem não curtiu a série e um pequeno grupo cancelou sua assinatura em boicote. A Netflix não se pronunciou, mas cortou toda a propaganda da série e retirou o título no banner principal mostrando suas séries originais, o colocando no limbo do site. Só pesquisando o nome que você acaba achando no catalogo.

Mas controvérsias (e racismo) a parte, Dear White People é lindo, bem produzido, com um ótimo elenco e totalmente necessário. Você precisa assistir.

Dark

Talvez a série mais “famosa” da lista, é Dark. Uma produção alemã, provando que não é só os americanos que sabem fazer ótimas séries. Popularmente conhecida como Stranger Things adulta, Dark é intrigante, com um roteiro bem amarrado, além de uma fotografia e trilha sonora de qualidade.

Fica difícil falar de Dark sem dar spoiler. O mais gostoso de assistir a série é não saber muito e qualquer coisa que eu disser pode estragar a experiência de assistir. Então vamos a sinopse oficial do IMDB: “Uma saga familiar com um toque sobrenatural, situado em uma cidade alemã, onde o desaparecimento de duas crianças pequenas expõe as relações entre quatro famílias”. Eu sei que é pouco, mas está é a singularidade da série. Um mistério que envolve as famílias de uma cidade alemã, em diversas épocas, e a estranha forma como todos estão conectados.

 

Curtiu a lista? Vai incluir nas listas de maratona? Achou que faltou alguma série? Comenta aqui pra gente.